Notícia

Projeto DOT Brasil ganha prêmio da Secretaria de Cultura do Distrito Federal

Projeto DOT Brasil ganha prêmio da Secretaria de Cultura do Distrito Federal

O DOT Brasil foi classificado no prêmio cultural Aldir Blanc, da Secretaria de Cultura do Distrito Federal, na linha de coletivos, pelo Pólo de Brasilia. Ao todo foram inscritos 1.130 projetos, 261 foram habilitados na primeira chamada, entre eles o DOT, e 246 ainda estão em análise.

Nossa justificativa para concorrer ao prêmio demonstrou a importância do DOT como movimento da comunidade surda que trabalha com a preservação da Língua Brasileira de Sinais, como patrimônio imaterial.

É uma grande alegria saber que mais uma vez a tradução da Bíblia proporciona neste tempo moderno o que historicamente proporcionou em tempos remotos. A tradução da Bíblia por Lutero, no século XVI, por exemplo, representa o registro de nascimento da língua alemã e, em grande parte, é considerada responsável pela evolução da moderna língua alemã.

Não tem sido diferente com a Lingua Brasileira de Sinais. A criação de novos termos, o registro e o fortalecimento de seu uso em sua comunidade de fala, são fatores fundamentais à preservação da língua. No caso das comunidades surdas, o registro documental visual se torna ainda mais importante, uma vez que, não há uma aceitação consensual coletiva de registros escritos e a cultura da memória audiovisual é um forte elemento utilizado para registros gramaticais e de caráter terminológico.

A Lei Aldir Blanc foi criada pelo Governo Federal em junho de 2020 para promover ações que garantissem verbas emergenciais e reconhecimento a agentes culturais que atuaram em 2020 em meio à pandemia do Covid-19. O Distrito Federal decidiu repassar os recursos da Lei nº 14.017  por meio de vários editais, incluindo o prêmio Aldir Blanc, com abertura inclusive para os coletivos que não precisaram de CNPJ para se inscrever.  Assim, agentes mais vulneráveis como ciganos, quilombolas, povos originários e a comunidade surda que não têm como comprovar sua atividade com documentos formais puderam concorrer no DF.

Deus abriu os olhos e inclinou o coração dos avaliadores em favor do Projeto de Tradução Bíblica Própria dos Surdos. O prêmio para coletivos é de 20 mil reais, menos os impostos. O valor será aplicado integralmente no processo de tradução, assim como utilizadas todas as ofertas de instituíções, igrejas e apoiadores individuais.